in ,

Não havia necessidade

Opinião

O aproveitamento da pandemia para fins políticos ou partidários tem sido alvo de críticas de vários quadrantes da sociedade portuguesa.

Aquilo que a câmara de Tomar fez com o desdobrável que reproduzimos é um lamentável exemplo desse aproveitamento.

À primeira vista até parece um normal panfleto de campanha eleitoral, com a fotografia da candidata. Só falta o apelo ao voto.

Quando, a pretexto da pandemia, a presidente da câmara de Tomar manda fazer e distribuir desdobráveis deste género, estamos perante uma abusiva utilização de dinheiros públicos. Mais ainda quando Anabela Freitas já anunciou a sua recandidatura à autarquia e quando estamos a um ano e poucos meses das eleições autárquicas.

Mandava o bom senso que não usasse a sua imagem num folheto deste género. Também não nos parece ingénuo que este desdobrável tenha sido distribuído apenas nas freguesias rurais.

A intenção pode ser boa (divulgar os restaurantes e outros estabelecimentos que têm serviço take away e entrega ao domicílio, bem como as farmácias que entregam medicamentos ao domicílio), mas o aproveitamento político é triste e vergonhoso. “Não havia necessidade”, como dizia o outro.                 

Comentários

Responder

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

    Loading…

    0

    Coletividade de Porto Mendo comemora 42 anos

    GNR detém homem que roubou trator