OpiniãoDestaque

Conservatória do Registo Civil: um serviço público em declínio

- Publicidade -

É com grande preocupação que assistimos à degradação dos serviços prestados pela Conservatória do Registo Civil em Tomar. A situação é cada vez mais precária, com longas filas de espera, funcionários sobrecarregados e falta de recursos básicos.

No dia 12 de Fevereiro, dirigi-me à Conservatória para tratar de um assunto urgente. Deparei-me com um cenário desolador: apenas um funcionário estava a atender o público, e mesmo esse estava “emprestado” pela Conservatória do Registo Predial. A fila de espera era enorme e as pessoas estavam visivelmente irritadas com a demora.

Esta situação é inaceitável! É inadmissível que um serviço público essencial, como o Registo Civil, esteja neste estado de abandono. As pessoas têm o direito de serem atendidas com rapidez e eficiência, e não serem obrigadas a esperar horas para tratar de assuntos importantes.

A falta de funcionários é um problema grave que precisa de ser solucionado com urgência. É necessário aumentar o número de trabalhadores nas Conservatórias do Registo Civil, para que o serviço possa funcionar de forma adequada.

Também é necessário investir em modernização e digitalização dos serviços. A informatização dos processos permitiria agilizar o atendimento e reduzir as filas de espera.

- Publicidade -

Os tomarenses não podem ficar de braços cruzados perante esta situação. É urgente denunciar a precariedade dos serviços da Conservatória do Registo Civil e exigir que o Governo tome medidas para resolver este problema.

Não podemos permitir que um serviço público essencial, como o Registo Civil, continue a degradar-se. É preciso garantir que todos os cidadãos tenham acesso a um serviço de qualidade, com o respeito e a dignidade que merecem.

Paulo Alexandre Melo

Membro da Assembleia da União de Freguesias S. João Baptista e Sta. Maria dos Olivais (PSD)

Registo Civil de Tomar deixou de fazer casamentos

- Publicidade -

5 comentários

  1. Acerca do Registo Civil:
    Penso que o apropriado para solução é contactar directamente os responsáveis do Governo e apurar a razão do estado corrente. Se fôr necessário o sector privado deve ser inteirado do mesmo.
    É triste na verdade, mas isso não resolve o problema. É necessário agir, (por quem conheça as vias) para se melhorar . O cidadão tem o direito de ser servido

    1. Ainda bem que deste essa ideia. Para a semana que vem vou a Lisboa tratar uns assuntos, e se tiver tempo vou falar com o António Costa e digo-lhe:
      – Olha lá pá, porque é que não pões pessoal a trabalhar no registo civil de Tomar? Vamos lá a resolver o assunto. Para a semana volto cá e se o problema ainda não tiver sido resolvido, venho ter contigo e raios me partam se não te dou duas lapadas na tromba…!

      1. diz:

        Já bates nos da tua cor?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo