in ,

Truques para vender bicas em tempo de pandemia (c/ vídeo)

“Cuidado que eles vêm aí”. Na estrada ao fundo passa o carro da polícia, mas segue em frente sem parar.

Parece um jogo do gato e do rato quando se tenta comprar e beber uma simples bica, neste caso numa pastelaria. Com a proibição da venda ao postigo, algumas padarias e pastelarias de Tomar vendem, mais ou menos clandestinamente, café em copos descartáveis. A única condição é que a bebida não pode ser consumida no estabelecimento, aliás, as funcionárias normalmente pedem para sair e ir consumir para longe.

A padaria Rosa é um exemplo de estabelecimento que vende normalmente bicas em copos descartáveis, apenas com a condição de não ser consumido no interior. E vende outras bebidas, mas não podem ser abertas nem consumidas no estabelecimento. Está previsto no diploma do Governo que se aplica às padarias e a cerca de 50 tipos de atividade que podem funcionar durante o confinamento geral devido à covid-19.

No caso das pastelarias e confeitarias, apesar de também venderem pão, não podem vender bebidas. E é aqui que entra o esquema da venda clandestina de bicas e outras bebidas.

Como se de tráfico se tratasse, a funcionário tira a bica e vai espreitando para a rua para ver se vem a polícia. Coloca uma tampa no copo descartável e insere num pequeno saco para disfarçar.

E quem diz bicas, diz cerveja ou refrigerantes. Os restaurantes também estão proibidos de comercializar bebidas, apenas comida em regime de take away. Mas alguns comerciantes disfarçam as garrafas dentro de sacos juntamente com o saco da cuvete.

São situações que nos parecem absurdas e caricatas e das quais nos vamos rir daqui a alguns anos.

Proponha uma correção, sugira uma pista: 

Envie fotos e vídeos para ou por aqui

Escrita por Redação

Comentários

Responder
  1. A situação é ridícula. O redator escusava era de referir nomes pois, no ambiente pidesco que se vive nestes tempos, pode arranjar problemas a outros.

  2. Neste momento, face à polémica que se gerou, o interessante é saber se as padarias (o ramo de negócio da padaria Rosa) podem ou não vender bebidadas, tais como café.
    Aqui fica uma sugestão para o Tomar na rede ou alguém investigar junto das autoridades competentes para assim ficarmos todos esclarecidos.

  3. Face à polémica que se instalou, a bem da verdade, o que realmente interessa aos Tomarenses saber é se as padarias (ramo de negócio da Padaria Rosa) podem ou não vender bebidas (tais como cafés).
    Assim, deixou uma sugestão para o autor deste blogue ou algum cidadão que consiga esta informação junto das autoridades competentes.

  4. Se não é legal, acho bem que seja falado e que sejam referidos nomes, uns podem e outros não podem? Ninguém pode, é para todos.

  5. É a mais pura verdade
    Em Tomar mais uma vez se contata que uns SÃOFILHOS outros Enteados, com a passividade das autoridades locais competentes para fiscalizar nada fazer.
    Enquanto uns estão em casa a cumprir as normas do governo outros vão brincando com as leis e vão fazendo o seu negocio.
    Pena não haver multas ainda mais pesadas a quem não cumpre a lei pois para estes senhores o negocio corre-lhes muito bem.
    É a .m…da de país e pessoas que temos.
    Cambada de corruptos e ainda falam do governo.
    Tenham vergonha na cara.

    • O problema do “incumprimento” das normas tem a ver com a redacção da Lei.
      A lei proíbe a venda de bebidas incluindo o café, se feita ao postigo….

  6. Então se a venda sem ser ao postigo é legal porque é que embrulham o café e outras bebidas escondidos em sacos na padaria Rosa e é pedido ao cliente para beber longe do estabelecimento ou então outro método “enganador” dentro de caixas de bolos na Tropical?
    O PROBLEMA DA CHICA ESPERTICE NESTE MOMENTO É INTERPRETAÇÃO QUE É DADO A REDAÇÃO DA LEI.
    CADA UM PUXA A BRASA A SUA SARDINHA E INTERPRETA COMO MAIS JEITO LHE DÁ.
    Se assim fosse 90% dos cafés a nível NACIONAL não tinham fechado as suas portas.
    Pena é a passividade das autoridades perante estas situações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

O Nabão, a poluição e as obras camarárias

Torre de menagem “pintada” de verde, símbolo da esperança