InsólitoDestaque

Muçulmanos expulsos das piscinas de Santarém por estarem vestidos na água

- Publicidade -

O caso aconteceu já no dia 17 nas piscinas de Santarém, mas continua a suscitar aceso debate.

Um grupo de imigrantes muçulmanos, do Paquistão, estava a banhar-se no complexo aquático de Santarém vestidos, uma vez que a sua religião não permite que se mostre o corpo.

Alguém fez queixa, um funcionário chamou a polícia e o caso ganhou novos contornos e dimensão nacional.

Os muçulmanos acusam os responsáveis da piscina de discriminação, enquanto estes argumentam que o regulamento das piscinas não permite que os banhistas estejam vestidos dentro de água.

O assunto tem gerado polémica noutros países da Europa e está a suscitar debate nas redes sociais.

- Publicidade -

Reportagem da RTP (c/ vídeo)

Imigrantes expulsos das piscinas de Santarém acusam funcionários de discriminação

 

Santarém. Paquistaneses impedidos de estarem vestidos em piscina

 

 

- Publicidade -

5 comentários

  1. Era so o que faltava eu agora nao poder ir a piscina…
    Sempre tem o Tejo ou outros rios ou albufeiras onde podem tomar banho nesses trajes não numa piscina pública já bastam os piolhos a urina e a transpiracao bem como para entrar na piscina devem passar o corpo por agua corrente nos chuveiros etc etc… Ou cumprem ou nao entram nestes equipamentos públicos e ponto.

  2. AS RAÍZES DO RACISMO E DA XONOFOBIA

    Nós não somos um país, uma sociedade, uma gente racista. Somos profundamente igualitários. Não que entendamos que todos temos de ser iguais. Nada disso. É antes porque nós, portugueses e em Portugal, respeitamos as diferenças.
    Mas isso não quer dizer que, ao contrário dos nossos governantes e desse coiso que é o Marcelo, nós gostemos de ver a nossa identidade, a nossa maneira de ser e de viver desrespeitada e aporcalhada por tudo quanto é lixo que vem dos confins do mundo.
    No mínimo, o nosso igualitarismo deveria levar a que esta gente fosse expulsa do nosso solo enquanto praticassem cá uma “tolerância” diferente da que praticam na terra deles.
    Então se uma mulher de lá tem de usar burca e não pode ir à praia, e uma mulher civilizada, naquelas paragens, leva porrada e vai presa se mostrar os cabelos,…?
    Se fogem de lá é porque aquilo não presta, está bem de ver.
    Agora o que deveriam era deixar lá o lixo cultural e religioso que trazem debaixo da burca e colado ao corpo que não conseguem lavar.
    Porcos.

  3. Tenho uma questão: aqui e noutros órgãos de comunicação social referem-se a paquistaneses mas as pessoas entrevistadas pela RTP são originárias do Bangladesh. Confirmam que no grupo também havia pessoas de nacionalidade paquistanesa?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo