in ,

Platex já está a ser desmantelada (c/ vídeo)

platex ifm IMG 20210314 095233

A Platex (Indústria de Fibras de Madeira – IFM), unidade industrial que funcionava há 60 anos em Valbom, Tomar, está a ser desmantelada por um sucateiro, à semelhança do que aconteceu com a fábrica de papel do Prado.

Ainda em abril, a presidente da câmara garantia que a empresa tinha o futuro assegurado e que havia dois investidores interessados, uma luz ao fundo do túnel que se apagou definitivamente.

Em reunião de câmara, Anabela Freitas disse que estava a trabalhar com um dos investidores, “que tem empresas em Portugal e que pretende adquirir a fábrica mantendo a laboração e o número de postos de trabalho”. A autarca adiantou que o referido investidor também se mostrou interessado em adquirir maquinaria, o que fez travar o processo de venda do recheio, promessas que caíram por terra como os factos comprovam.

O despedimento dos últimos trabalhadores, 42, aconteceu em março, na sequência do processo de Insolvência, depois de os credores não terem aprovado o Processo Especial de Revitalização.

Nos últimos tempos apenas funcionava uma linha de produção e dois turnos, com o pessoal reduzido ao mínimo. Mas a empresa chegou a empregar centenas de trabalhadores, laborando 24 horas por dia.

Com o desmantelamento das máquinas da Platex, chega ao fim uma das últimas grandes unidades industriais de Tomar depois do encerramento da fábrica de fiação, Porto de Cavaleiros, João Salvador, Prado e Matrena, entre outras.

A fábrica foi inaugurada a 10 de outubro de 1961 e dedicava-se à produção de madeira prensada, um produto que ganhou o nome da marca, Platex.

Enviámos ao administrador de insolvência algumas questões sobre o processo. Aguardamos resposta.

Platex vai fechar definitivamente

Primeira pedra da Platex foi lançada há 60 anos

 

Escrita por Redação

Blog informativo Tomar na Rede. Notícias sobre Tomar e região envolvente. Informação local e regional.

Comentários

Responder
  1. Esta é mais uma promessa de Dona Anabela, o futuro assegurado, não o de trabalhadores, não o da população tomarense, mas o futuro dessa senhora montada em algum Rocinante, numa batalha contra moinhos de vento.
    Por estas e por outras é que população tomarense se devia de vestir de preto e ir fazer uma vigília em frente ao município, pois este está mesmo com os pés para a cova

  2. Ainda não acabou o desmantelamento do Prado, já está este no seguimento. Depois admiram-se com a desertificação da cidade, como mostram os censos: dos piores resultados no distrito e na região. Ficam casas de comes e bebes e de dormidas, como nas últimas décadas querem PS e PSD e como parece que gostam os tomarenses.

  3. Um conselho interessante mas pouco realista. A redução populacional mostra que muitos tomarenses em vez de vestir o fato preto meteram a roupa na mala e foram embora. Como os problemas de hoje com a gestão autárquica PS são a continuação dos problemas de ontem com o PSD, pouca esperança no futuro haverá.

  4. O que preocupa, principalmente, é a perca de mais uma unidade fabril no Concelho, e dos respetivos empregos.
    O que indigna, é a facilidade com que a presidente da Camara inventa investidores e imagina soluções.
    O que é lamentavel, é que a senhora, e o seu sequito, continuem a propaganda de um “caminho certo”, ou lá o que é, para Tomar.
    Seremos parvos, nós, os cidadãos eleitores?

  5. Claro que os eleitores são parvos, senão Tomar não tinha chegado a este estado miserável, depois de 47 anos de democracia e 35 de CEE, com balúrdios investidos!!!! Viva a democracia, agora é que estamos bem…

  6. Os tais investidores anunciados pela senhora presidente devem ser os angolanos da viúva Rosa…!!!

    A senhora devia pensar duas vezes antes de se cobrir de ridículo quando se põe a falar do que não sabe, e sobretudo não meter o bedelho onde não deve. Esta triste figura de “cavaleira do infortúnio” que ela tanto gosta de encarnar só serve para confirmar aquilo que muitos, principalmente os que conheceram a empresa, a fábrica, a especificidade do mercado do Platex, e a história do produto, pensam dela e que me abstenho de aqui pronunciar.

    O produto Platex estava há vários anos em fim de ciclo, e a fábrica já só estava a laborar para os clientes mais antigos, ou mais clássicos se quiserem.

    A senhora presidente limite-se a governar o concelho o menos mal que puder, e pare de aproveitar estas tristes ocorrências para capitalizar votos para as autárquicas… Ou então vá vender chouriços para o mercado.

  7. É um pouco estranho não aparecerem empresas nenhumas de relevo em Tomar, quando essa parecia ser uma das promessas políticas. Talvez as(os) políticas(os) devessem conter-se e não fazer promessas que dependam da vontade de terceiros.

  8. Erica. A democracia não tem culpa das más opções e da preguiça dos decisores tomarenses. Aliás, se agora Tomar caminha para a irrelevância económica, na ditadura era 90% do território. Veja-se a emigração da época. Na democracia todos os vizinhos de Tomar progrediram: de Torres Novas a Abrantes, passando por Ourém ou Leiria.

  9. Resposta a Hélder Silva.
    A democracia não tem culpa das más opções e da preguiça dos decisores tomarenses. Aliás, se agora Tomar caminha para a irrelevância económica, na ditadura era 90% do território. Veja-se a emigração da época. Na democracia todos os vizinhos de Tomar progrediram: de Torres Novas a Abrantes, passando por Ourém ou Leiria.

  10. @ António Pina, ao menos só emigrava quem queria, e apesar da ditadura quem queria podia emigrar. Houve muita gente que optou por ficar, e fez vida em Tomar, onde foi feliz. Hoje já não o poderiam fazer, quem quizer ganhar o pão e não tiver aptidão para o turismo ou programar computadores não pode viver em Tomar.

  11. Creio que está a branquear o regime anterior ao 25 de Abril, mesmo se involuntariamente.
    É falso que só emigrava quem queria. É falso que apesar da ditadura quem queria podia emigrar.
    Centenas de milhares de compatriotas atravessaram a fronteira “a salto”, porque a isso foram forçados pela fome e a falta de trabalho com salários decentes. Muitos outros fizeram o mesmo, emigraram clandestinamente, para fugir da tropa e da guerra, e porque o governo só dava passaporte a quem tinha meios para viajar, e desde que não tivesse uma “informação desfavorável” da PIDE. Uma autêntica maravilha, como pode constatar. Mas o que lá vai, lá vai. Agora o importante é votar em quem saiba governar e tenha uma ideia de futuro par Tomar.

  12. Eu falo por mim, tenho familiares e amigos que emigraram para a Alemanha, Suiça e França, tenho até um familiar próximo que esteve emigrado meia dúzia de anos em França e depois arranjou emprego numa das Fábricas ‘de Tomar e voltou, hoje já reformado de Portugal e da França, e com saúde felizmente. Se era por assalto, se era de autocarro, se era de mota, não sei, o que eu sei é que nem toda a gente emigrou para escapar á fome e aos baixos salàrios como vocês esquerdalhos dizem, das pessoas que eu conheci em Tomar a maior parte acabou por ficar e fazer vida. O regime que precisa de ser branqueado é este, ele é de certeza muito mais corrupto e ineficaz do que o outro, que já é passado. Dizem os entendidos que nos estamos a tornar um dos países mais pobres da Europa, que ao invés de convergirmos para a média europeia estamos a divergir. Porque será???

  13. O sr Helder está a misturar tudo e a confundir esquerdalhos com espantalhos. Uma vez que conhece toda essa gente que menciona, quando tiver vagar, pergunte-lhes porque resolveram emigrar e como o fizeram. Vai de certeza ficar surpreendido com as respostas. Porque nesses tempos, houve apenas dois tipos de emigrantes. Os que davam à sola por razões políticas e os que davam corda aos sapatos por razões económicas. o resto é música para tentar dourar agora o que na altura era negro.
    Quanto às suas considerações sobre a actual situação no país e em Tomar, algumas estão certas, outras infelizmente não. Mas não me parece que seja o tempo ou o local para debater esse assunto de forma conveniente. E para mais uma cagada, é melhor ficarmos por aqui.

  14. O QUE ESTÁ EM CAUSA NÃO É O ANTIGO REGIME, FASCISTA, OU AUTIRITARIO, OU O QUE QUISEREM. JA LA VAI TEMPO DEMAIS!
    O QUE ESTÁ EM CAUSA É A INCAPACIDADE QUE OS ELEITOS PARA A CAMARA, QUASE TODOS E DESDE SEMPRE, EVIDENCIARAM PARA CONDUZIR TOMAR PARA CAMINHOS DE PROGRESSO E DE DESENVOLVIMENTO.
    O QUE ESTÁ EM CAUSA, TAMBEM, SÃO OS DELIRIOS DESTA PRESDIENTE DE CAMARA QUE TEMOS. PODIA DELIRARA EM CASA, SOZINHA.
    AZAR NOSSO: DELIRA EM PUBLICO, E QUER-NOS CONVENCER QUE FALA VERDADE.
    VAI LONGE DEMAIS, NO DELIRIO (OU NA MENTIRA?), INFELIZMENTE.
    E NÓS TEMOS QUE ATURAR ISTO, E ASSISTIR AO DEFINHAR DA CIDADE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0
tita vitor domingos IMG 20210729 154257

Vacina contra a Covid-19 não impediu que Tita fosse contagiado (c/ áudio)

IMG 20210730 193010

Idoso encontrado morto em casa