in , , ,

Subsídios da câmara: saiba quanto recebe a sua coletividade

gualdim pais música 5

Este ano a câmara de Tomar vai dar subsídios às coletividades “no imediato e sem entrega de relatórios, ou seja, mesmo sabendo que a maioria das atividades candidatadas para 2021 provavelmente não se realizarão”.

São cerca de 530 mil euros a distribuir por 92 associações, subsídios aprovados na reunião do dia 15 de fevereiro.

O Programa de Apoio ao Associativismo é dividido em quatro pacotes: Programa 0 – programa base, apoio à atividade regular e ao desenvolvimento associativo, apoio a eventos e apoio a projetos de intervenção social.

A Sociedade Filarmónica Gualdim Pais é a coletividade que mais recebe, acima de 50 mil euros. Segue-se o U. Tomar com 44 mil euros, o Sport Club de Cem Soldos com mais de 35 mil euros e o Sp. Tomar com mais de 27 mil euros, valores que não incluem outros apoios pontuais ao longo do ano.

Publicamos a seguir a tabela discriminada de quanto recebe cada uma das associações:

 

Programa de Apoio ao Associativismo 2021 – Programa 1 – Apoio à Atividade Regular / Desenvolvimento Associativo

Sociedade Filarmónica Gualdim Pais – 29 026,00 €

União Futebol Comércio e Indústria de Tomar – 28 825,00 €

Sporting Clube de Tomar – 20 075,00 €

Sport Club Operário de Cem Soldos – 19 025,00 €

Ginásio Clube de Tomar – 18 625,00 €

Escola de Futebol de Tomar – 12 000,00 €

Canto Firme de Tomar – Associação de Cultura – 11 400,00 €

Associação Cultural e Recreativa de Santa Cita – 11 075,00 €

Basket Club de Tomar – 8 250,00 €

Sociedade Recreativa e Musical da Pedreira – 7 400,00 €

Associação Thomar Honoris – 6 700,00 €

IP Thomar – Rugby Associação – 6 500,00 €

Ténis Clube Tomar – 5 125,00 €

Associação Cultural e Recreativa de Linhaceira – 4 700,00 €

Sociedade Filarmónica Paialvense “Manoel de Mattos” – 4 400,00 €

Sociedade Banda Republicana Marcial Nabantina – 3 300,00 €

Grupo Desportivo da Nabância – 3 100,00 €

Centro Cultural e Desportivo de Porto Mendo – 3 000,00 €

Associação Cultural, Recreativa e Desportiva de Asseiceira – 2 700,00 €

Centro Recreativo e Cultural da Freguesia de Carregueiros – 2 700,00 €

Associação dos Forcados Amadores de Tomar – 2 500,00 €

Centro Recreativo, Cultural e Desp. Rancho Folclórico “Os Camponeses” de Peralva – 2 300,00 €

Associação Rancho Folclórico e Etnográfico e Museu Rural de Alviobeira – 2 200,00 €

Espaço 0 – Artes Comunicantes – Associação de Cultura – 2 200,00 €

Fatias de Cá de Tomar – 2 200,00 €

Associação Cultural e Desp. do Rancho Folclórico “Os Camponeses” de Minjoelho – 2 200,00 €

Rancho Folclórico Os Canteiros da Pedreira – 2 200,00 €

Clube de Jovens Os Aerocalminhas – 2 175,00 €

(Há outras coletividades contempladas com verbas inferiores – ver documento em baixo)

 


Programa de Apoio ao Associativismo 2021 – Programa 2 – Apoio a Eventos

Sociedade Filarmónica Gualdim Pais – 24 250,00 €

Associação Thomar Honoris – 17 790,00 €

Associação de Cultura, Desporto e Solidariedade Social de Paço da Comenda – 18 596,25 €

União Futebol, Comércio e Indústria de Tomar – 15 175,00 €

Canto Firme de Tomar – 14 000,00 €

Sport Club Operário de Cem Soldos – 10 118,75 €

Clube de Actividades de Lazer e Manutenção – CALMA – 7 600,00 €

Sporting Clube de Tomar – 7 025,00 €

Espaço 0. Artes Comunicantes – Associação de Cultura – 6 500,00 €

Clube Desportivo Templários BTT e Aventura – 6 150,00 €

Associação Cultural e Recreativa de Santa Cita – 6 087,50 €

Tuna Templária do Instituto Politécnico de Tomar, Associação Cultura – 5 500,00 €

Associação de Natação do Distrito de Santarém – 5 300,00 €

JazzWithin – Associação Artística e Cultural – 5 000,00 €

MuDaRa – 4 875,00 €

The Water Ski Club – 3 875,00 €

Associação 29 Gerar Oportunidades – 2 567,50 €

Associação dos Forcados Amadores de Tomar – 2 500,00 €

Associação Cultural e Recreativa de Linhaceira – 2 275,00 €

Federação do Folclore Português – CTR Alto Ribatejo – 2 250,00 €

Ginásio Clube de Tomar – 2 000,00 €

(Há outras coletividades contempladas com verbas inferiores – ver documento em baixo)


Programa de Apoio ao Associativismo 2021 – Programa 3 – Projetos de Intervenção Social

Designação da Entidade Apoio
Associação Saúde Mental do Médio Tejo 12 500,00 €
Centro Social Paroquial de Asseiceira 11 000,00 €
Associação de Cultura, Desporto e de Solidariedade Social de Paço da Comenda 10 000,00 €
Sociedade Recreativa e Musical da Pedreira 10 000,00 €
Cruz Vermelha Portuguesa – Centro Humanitário de Abrantes/Tomar 6 905,25 €
Sport Club Operário de Cem Soldos 6 700,00 €
Associação Gerar Oportunidades 3 422,00 €
Ginásio Clube de Tomar 2 773,75 €
ACRESCER – Associação de Pais e Amigos de crianças com necessidades educativas especiais de Tomar 2 250,00 €
JazzWithin – Associação Artística e Cultural 1 995,00 €
Centro de Assistência Social de Olalhas 1 900,00 €
Associação Dadores Benévolos de Sangue 1 225,00 €
Grupo Desportivo Nabância 1 015,00 €

 


Programa de Apoio ao Associativismo 2021 – Programa 0 – Programa Base

Nome da Associação Valor
Associação Cultural, Recreativa e Desportiva da Freguesia da Junceira 250,00 €
Associação de Melhoramentos, Recreio e Cultura da Roda Pequena 250,00 €
Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola EB1 D. Nuno Álvares Pereira de Tomar 250,00 €
Associação Motor Rota dos Templários 250,00 €
Associação Os Corta Asfalto de Thomar 250,00 €
Associação Protetora dos Animais da Região do Ribatejo – Tomar 250,00 €
Associação Recreativa das Aboboreiras 250,00 €
Associação Recreativa e Cultural Os Quatro Unidos 250,00 €
Associação Recreativa e Desportiva da Charneca do Maxial 250,00 €
Centro Cultural de Carril-Vales 250,00 €
Centro Cultural e Desportivo da Câmara Municipal de Tomar e Serviços Municipalizados 250,00 €
Centro Cultural e Recreativo de Vale de Idanha 250,00 €
Centro de Convívio e Cultura das Barreiras 250,00 €
Centro Recreativo e Cultural de Alviobeira 250,00 €
Juventude Mariana Vicentina 250,00 €
Motor Clube de Tomar 250,00 €
Ordem dos Pobres Cavaleiros do Templo de Jerusalém – OPCTJ 250,00 €

 

 

Escrita por Redação

Blog informativo Tomar na Rede. Notícias sobre Tomar e região envolvente. Informação local e regional.

Comentários

Responder
  1. Preferia desviar esse dinheiro para os bombeiros.

    Já dava para contratar uns 30 elementos adicionais para os bombeiros, seriam 6 novas equipas completas de 5 elementos, que sempre dava no mínimo 1 nova equipa completa por turno (mesmo com férias, baixas, folgas), dependendo de quanto lhes pagam, eu calculei a 1200 euros x 14 meses = 16.800 euros por pessoa brutos, e 530.000 a dividir por 16.800 dá os tais 30 elementos e ainda sobra… mas não faço ideia se estou a calcular por baixo ou por cima… se estiverem a receber menos tipo a: 950 euros brutos já seriam 39 elementos, por tanto 7 novas equipas completas e ainda sobram 4 que com mais 1 formavam 1 nova equipa completa, por tanto 1 a 2 equipas completas extra por turno (dependendo das férias, baixas, folgas).
    Se trabalharem à lá bombeiral sem qualidade isto podem ser 15 a 20 equipas novas de 2 elementos, ou 10 a 13 equipas de 3 elementos…. a espalhar por 5 turnos diários (3 turnos de 8 horas, 1 turno de folga, 1 turno de férias/ baixas) iria dar entre 3 a 4 equipas extra por turno de 2 elementos conforme o que lhes pagassem, ou 2 equipas extra de 3 elementos, com alguns elementos extra em alguns turnos.

    Claro que provavelmente até eu reconheceria que muitos que recebem esses subsídio de facto são úteis e por isso nem eu deixaria de atribuir subsídios mesmo que preferisse que fossem buscar o dinheiro à sociedade civil… mas se em tempos seria mais contundente, a situação grave criada pelo estado devido à histeria faria ceder ao facto óbvio que a sociedade civil está de momento em apuros e que ir buscar dinheiro por parte de associações e colectividades à mesma nesta altura não é lá muito realista.

    • João, parabéns pelos teus estudos em relação aos bombeiros, mas eu deixo-te outra sugestão: Não orçamentar esses 530 mil€ e evitar assim ir esmiufrar o contribuinte nessa quantia. Tu ainda és novo e não te apercebeste que essas ‘dávidas’ são uma estratégia da Câmara para caçar votos e tentarem assim perpertuarem -se no poder. E não é só deste executivo, sempre foi assim, desde o 25 de Abril de 74.

      • Mas o contribuinte já está, a ser esmifrado… o mesmo não tem opinião a dar… quem governa é que decide se dá a associações/ coletividades, para os bombeiros, ou para adquirir uma estátua qualquer de um artista famoso qualquer.

        Claro, que as esmolas é para a caça ao voto, mas neste ano até eu que geralmente sou contra dar dinheiro público para a maioria das associações/ colectividades, reconheço que para algumas até eu tomaria a iniciativa de propor tais subsídios, porque o estado central com o apoio das autarquias criou uma situação económica terrível na sociedade, coisa que o próprio vírus não seria capaz porque na sua actuação apenas afecta gravemente uma minoria das pessoas, suficientemente inexpressivo para não se notar na sociedade em geral o seu impacto, mas suficientemente grande para o sempre no limite sistema de saúde ficar logo sem capacidade… e para não meterem mais médicos a trabalhar nas urgências (por exemplo desviados dos centros de saúde, e que recebessem uma formação para aquele um problema que estava a atravancar os hospitais de gente), preferem tiram o trabalho aos outros… enfim… assim é fácil de governar, pior não faria.

    • Fernando Caldas Vieira, repare que só deram 250 € â associação protetora dos animais, o mesmo que deram á ordem dos pobres cavaleiros do tempo de Jerusalém!!!! Ou á associação de país da escola D.Nuno!!!! I Jazzwithin leva quase 2000, os tomarenses são malucos por Jazz!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0
o couves

Ourém: moradores plantam couves em estrada esburacada (c/ vídeo)

teatro fatias relvas FB IMG 1551870513656

Grupo de teatro Fatias de Cá regista prejuízo em 2020