DestaqueSociedade

Mais uma descarga poluente no rio Nabão

- Publicidade -

O rio Nabão em Tomar está a ser alvo nesta sexta feira, dia 11, de mais um atentado ambiental, conforme mostram as imagens.

Mais uma descarga poluente que está a indignar os tomarenses que exigem apuramento de responsabilidades.

Vários cidadãos partilharam nas redes sociais imagens do rio em tons de castanho e com espuma. O cheiro esse é nauseabundo.

https://www.facebook.com/antonio.joaomatos.5/posts/3596209573748017

https://www.facebook.com/luis.freire.102/posts/4219530004729435

- Publicidade -

https://www.facebook.com/lecsteixeira/posts/10221882299464184

https://www.facebook.com/mahetor/posts/3863354867008417

 

https://www.facebook.com/carlospiedade.silva/posts/3517969068249008

 

Mais fotos aqui e aqui

Proponha uma correção, sugira uma pista:

Envie fotos e vídeos para ou por aqui

- Publicidade -

7 comentários

  1. Os tomarenses exigem responsabilidades, diz a notícia. Deve ser um engano. Alguns raros tomarenses estarão de facto indignados e a pedir que se apurem responsabilidades Mas a esmagadora maioria está-se marimbando para o Nabão, para o concelho e para a cidade. Querem é festas, bebidas, comezainas, passeatas e palmadinhas nas costas. O resto é só música para criar ambiente.
    De resto apurar o quê? Há quantos anos já se sabe que a origem da poluição é a ETAR de Ourém, instalada na Sabacheira? Há quantos anos anda o cidadão Américo Costa a alertar a comunidade tomarense? Com que resultados práticos?
    Infeliz terra que tais filhos tem.

  2. Caro António Rebelo,

    Como todos os problemas podemos aproveitar para criar uma oportunidade, por exemplo o Passos Coelho quando os jovens qualificados começaram a emigrar viu isso como um oportunidade de melhoria de vida…
    Não seria uma oportunidade para criar uma associação dos ” Amigos do Nabão ” com a respetiva Direção, reuniões mensais com almoçaradas , etc. Até podíamos pedir um subsídio à Câmara de Tomar, e se fosse necessários dar umas músicas, qual era o problema?
    Talvez fosse também um 2 em 1 como o camião da esperança que além dos testes rápidos Covid deu muita publicidade à cidade???
    Boa praia, espero com águas límpidas.

    1. É uma ideia, José Caldas. Mas não contem comigo para solicitar, ou receber subsídios camarários. Acho pouco aceitável, na maioria dos casos.
      Sobre o camião da esperança, vou-me antecipar um bocadinho. Logo verá. Além do que escreve no comentário, foi também uma habilidade para “chupar” dinheiro à câmara. Fonte fidedigna garantiu-me que, dos 29 testes positivos, 26 foram depois negativos quando repetidos com o método PCR numa entidade acreditada. Com resultados desta ordem, valeu a pena gastar 33 mil euros para afinal alarmar a população?
      Agradeço os votos de boa praia. Com temperaturas acima de 25º, e quilómetros, e quilómetros de areal logo ao fundo da rua, não é difícil escolher uma praia pouco poluída. Basta saber onde desaguam os esgotos e agir em conformidade.

  3. Inadmissível, e insuportável.
    Os responsáveis diretos pelas descargas, os seus autores, estão conscientes do que ordenam, ou efetuam. Estão conscientes que conspurcam uma cidade, que, gradualmente, estão a matar um rio, e que, expressam com essas descargas um total desprezo pela população, pela sua dignidade e pelo seu bem estar.
    Os governantes, locais e nacionais, são meros protagonistas de uma farsa.

    Há anos que diferentes setores da sociedade tomarense alertam para a poluição do rio, e pedem a intervenção corajosa da Câmara, eleita para proteger os seus direitos, para defender os seus interesses, e para resolver os seus problemas.
    O Poder central, Presidência da Republica, Governantes e estruturas da Administração Publica, sabemos que só reagem quando alguém é assassinado no aeroporto, e quando a Opinião Publica pede a cabeça do Ministro. Como é o caso agora. Ao longo da ultima década (!!), repetem-se as agressões, declaram os ministros, berram os deputados, lamentam-se os policias ambientais, mas ninguém faz nada.

    O que se passa com o Nabão, é quase obsceno. Dia após dia, semana após semana, mês após mês, ano após ano, repete-se esta agressão à Cidade e à População, sem que alguém reaja.
    A Câmara, timidamente, após 7 (!) anos do flagelo, anunciou que vai acionar os responsáveis, e pedir a intervenção do poder central. 7 anos…
    Como, se a presidente da camara é a presidente da empresa que é presumível autora das descargas e das agressões?
    Como, se ao longo de 7 anos os apelos que pode ter feito ao Poder central foram estéreis?
    Não brinquem connosco. Não nos insultem.

  4. Durante anos o problema do Nabão eram as fábricas (que criavam emprego e geravam riqueza). Fecharam e afinal há mais problemas hoje no rio num mês que durante todo um ano no passado.

    1. Eram ou diziam que eram? Nessas situações, qualquer autoconvencido ambientalista que se preze, sem saber o que se passa, aponta logo o dedo “às fábricas”.

  5. APELO A QUE SE INVIAVBILIZE A ETAR DA SABACHEIRA E SE OBRIGUE O CONCELHO DE OUREM A FAZER UMA ETAR LÁ PERTO DA CÂMARA DE OUREM ASSIM QUERO VER SE ELES DEPOIS ORDENAM QUE SE FAÇAM DESCARGAS LÁ NAS RIBEIRAS DELES E QUE VÃO DÁR A TORRES NOVAS AO ALMONDA. ISSO É QUE ERA SERVIÇO ERA PRECISO ERA O POVO DE TOMAR TRATAR DESTE ASSUNTO MAS COM MUSCULOS.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo