DestaquePolítica

Líder do Chega demite-se e abandona a política

Nuno Godinho demitiu-se de presidente da Comissão Política Concelhia de Tomar do partido Chega e decidiu abandonar a política. A decisão foi anunciada aos restantes dirigentes e militantes no dia 9.

Quanto às razões para esta demissão, Nuno Godinho diz apenas que foi “uma decisão pessoal”. No entanto, os conflitos internos podem ter contribuído para o seu afastamento.

A atual vice-presidente, Vera Ribeiro, assume assim a presidência da Comissão Política Concelhia do Chega.

Para sexta feira, dia 19, pelas 21 horas, está marcada uma reunião de militantes de Tomar com a presença de Manuela Estevão, presidente da Distrital de Santarém.

 

https://tomarnarede.pt/destaque/nuno-godinho-e-vera-ribeiro-lideram-chega-em-tomar/

3 comentários

  1. Entrada de leão, saída de sendeiro, diz o povo.
    Quando o ouvi dizer que caso fosse eleito não haveria assessores externos na câmara, percebi que não ia durar muito, numa terra como Tomar. É pena porque tem muitas qualidades, algumas bem raras na época que atravessamos.
    Lá vamos ter de nos amanhar com os sapateiros do costume, apesar do conselho popular “não vá o sapateiro além da chinela”.

  2. COMPREENSÃO

    A minha primeira atitude é de tolerância e tentativa de compreensão.
    Mesmo sendo do Chega, basta ser tomarense, para que a dedicação à causa pública implique uma dose acima do normal para aturar o anormal.
    Seja ele o que for, nós – todos os tomarenses – já temos para com este senhor um ónus de gratidão.
    Muitas – a grande maioria – das ideias do chega estão certas. Falta-lhes (é também bem óbvio), o lastro e o enquadramento teórico-político e ideológico. Mas em quase todas os assuntos eles têm razão. Muitas das suas barganhas são de esquerda. E não é por acaso que muito do voto no Chega veio precisamente da esquerda e/ou estrema esquerda.
    Os nossos agradecimentos, portanto.
    Sobra, estatutariamente para a Vera. Conheço-a mal. Mas do que sei, estou seguro tratar-se de uma jovem cuja força de viver e criatividade auspiciam uma vida, trabalhosa, é certo, mas com capacidade para os objectivos a que se abalança.
    Só para dar um exemplo: quando a comparamos com a actual presidenta é comparar um gigante e um anão. Em que a Vera seguramente não é o anão.
    Ao Chega e à Vera as maiores felicidades e sucessos. Nós precisamos muito que os tenham.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Adblock Detectado

Por favor, considere apoiar o nosso site desligando o seu ad blocker.