in ,

RTP transmite documentário sobre as “Relíquias Perdidas dos Templários”

Tomar é o epicentro da história da misteriosa Ordem dos Templários. Isso mesmo é referido no documentário “Relíquias Perdidas dos Templários” transmitido na última noite pela RTP.

“Com inúmeros mitos em torno dos Cavaleiros Templários e do seu destino, Hamilton White e Carl Cookson, dois caçadores de tesouros modernos, embarcam numa jornada épica que os leva por toda a Europa e Médio Oriente; das torres românticas de Portugal do século XII, ao espiritual Monte do Templo em Jerusalém, para traçar as origens das relíquias templárias”, lê-se na sinopse do programa.

No 1º episódio, logo aos 36 minutos surgem imagens aéreas de Tomar com enfoque no centro histórico, no castelo e no Convento de Cristo, sendo que aqui, a charola assume primordial importância.

No documentário diz-se que os alemães estiveram em Tomar nos anos 30 do séc. XX à procura do místico tesouro dos Templários mas não o encontraram.

O documentário pode ser visto aqui

 

Versão original (em inglês)

 

Escrita por Redação

Comentários

Responder
  1. Lá vem outra vez o mito do tesouro dos templários, mais a quantidade de tretas que geralmente acompanha. Desta vez, se calhar para conseguir alguma credibilidade, juntam o caso dos alemães que estiveram em Tomar, antes e no tempo do Hitler.
    Tanto quanto sei, esses alemães não vieram em busca do tesouro ou de outras relíquias templárias. Vieram para restaurar parte do castelo, nomeadamente a torre sineira da Charola, e para instalar um posto rádio de escuta, que se manteve, já nas mãos do exército português, até aos anos 90 do século passado.
    Mas este tema dos alemães do Hitler em Tomar parece desagradar sobremaneira aos tomarenses. Já me aconteceu relatar o facto durante uma visita guiada, e o tomarense que eu acompanhava pediu logo licença para terminar, porque tinha outros afazeres antes imprevistos. Combinou-se uma segunda visita para concluir, mas o interessado nunca voltou a contactar. Deve fazer parte daqueles que preferem apagar fotos e rasgar documentos incómodos.

    • Não esquecer de mencionar que o mesmo Hitler esteve em Tomar , com o Goering ambos disfarçados de pastorinhos, à procura do tesouro templário..!!!

      • Foi nessa altura que conheceram e amaram cado um uma das suas avós? É o que parece, que essas coisas íntimas só se transmitem por via familiar.

  2. Tesouros.. bens materiais etc.. O que existiu desde Gualdim Pais e que ainda existe em Tomar relaciona-se com o Amor ao Pai, ao filho e ao Espirito Santo que continua bem presente para quem o procura. Ao ser procurado e quando manifestado traz tambem as energias do mal a tentarem afastar as pessoas dele e de procurarem Deus.

    Thomar teve e tem muito significado espiritual aqui na terra como no ceu

    • Parece-me haver aqui algum equívoco, Ricardo. Então os templários não foram excomungados e queimados na fogueira, por ordem do papa? Mesmo na nossa terra, porque será que deixou de haver altar e portanto deixou de haver missas ou outros cerimónias na igreja-mãe dos templários portugueses, a Charola do castelo-sede da Ordem?
      Vai sendo tempo de começar a entender as coisas tal como elas realmente aconteceram, em vez da versão da igreja dos padres profissionais, lacaios de Roma. Só atrasa vir agora com a cantilena da ligação ao Pai, ao Filho e a Espírito Santo. Para os Templários só havia Deus. Mais ninguém. Não a nós senhor, não a nós, mas pela glória do teu nome, é o que se lê na balsa templária.

  3. Caro Francisco. Entre a morte de Gualdim Pais e a morte de Jacques de Molay distam 119 anos… E o que ele disse a morrer na fogueira cumpriu-se. A versao dos padres profissionais nao me interessa porque todos somos pecadores. O que eu pessoalmente senti assim que entrei no Convento de Cristo em 2019 e na Igreja se S. Francisco em 2017 foi que Thomar continua a ser espiritualmente protegida nos sitios de culto e que existe o mal a tentar sobrepor-se.
    A razao porque isso me foi mostrado ainda estou por saber totalmente mas vou tentando compreender aos poucos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Quarenta borregos roubados de uma propriedade em Abrantes

Outra vez os chineses