CulturaDestaque

Concerto dos Quinta do Bill em Torres Novas já está esgotado

- Publicidade -

A três dias do concerto dos Quinta do Bill no Teatro Virgínia, em Torres Novas, os bilhetes já estão esgotados.

Este primeiro concerto do ano da banda de Tomar acontece neste sábado, dia 7, a partir das 21h30, com os bilhetes (15 euros) a esgotarem em apenas três dias.

Neste formato “sinfónico” a banda partilha o palco com a Banda Filarmónica da Sociedade Musical União e Trabalho e com a Banda da Sociedade Filarmónica União Pedroguense.

Em parceria, revisitam as suas canções intemporais, com novos arranjos criados propositadamente para o espetáculo, que possibilitam redescobrir as palavras e as melodias. Com novas texturas e arranjos de clássicos como ‘Se Te Amo’, ‘Voa (Voa)’, ‘Menino’ ou ‘Os Filhos da Nação’, as três formações irão comemorar o início do Novo Ano em festa e apelando aos afetos e à paz”, afirma Carlos Moisés, o carismático vocalista da banda.

Com um sólido percurso artístico de mais de 30 anos, a Quinta do Bill já editou oito álbuns de estúdio e reúne um vasto repertório de músicas que lhe permitiu alcançar um estatuto de destaque no panorama musical português. “Os Filhos Da Nação”, de 1994, “No Trilho do Sol”, de 1996, e “Dias de Cumplicidade”, de 1998, estão entre os discos mais populares da banda, nos quais mistura de forma hábil a energia contagiante do rock com a folk tradicional, conquistando desde sempre públicos das mais diversas idades.

- Publicidade -

O Teatro Virgínia tem capacidade para cerca de 600 pessoas.

Quinta do Bill: voz e guitarra: Moisés; baixo: Paulo Bizarro; guitarra: Carlos Calado; bateria: André Moinho; acordeão e teclado: Pedro Cruz; violino: Carla Santos.

Mais informação aqui

- Publicidade -

1 comentário

  1. Boa sorte para quem os vai ver e ouvir. Por mim, passo! Nem de longe fazem a música que gosto de ouvir. Para mim têm 2 coisas contra. Emprestaram uma música para hino do Porto, clube que abomino, e também nunca deixaram aquele som de banda de garagem.
    Isto é apenas a minha opinião. Não os crítico. Fazem o que podem, como sabem, e admiro-lhes a resistência à erosão do tempo. Essas são as características que lhes aplaudo, quanto à música é o que disse acima…

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo